sábado, 4 de junho de 2011

Porque Deus não perdoá a blasfêmia contra o Espírito Santo?

     O PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO 
Como uma pessoa, que é, com personalidade, desejos e decisões, o Espírito Santo, chama o ser humano através da consciência, do ouvir a palavra de Deus, do ler a mesma palavra, da natureza, de sonhos e de outros meios, e quando recebe sempre respostas negativas pode ser entristecido e completamente apagado. O ser humano que apaga o Espírito Santo de sua vida acaba entregue aos seus próprios desígnios maus.
     
O que é o pecado contra o Espírito Santo, e o que fazer para se evitar este grande mal?. Jesus Cristo condenando a resistência dos fariseus ao poder e ao chamado de Deus ensinou: `` Portanto eu vos digo: Todo pecado e blasfêmia se perdoarão aos homens, mas a blasfêmia contra o Espirito Santo não será perdoado. ´´ (Mt. 12. 31). Eis ai o pecado imperdoável.

                 Por que será que Deus não perdoa o pecado imperdoável?
       Estará o Deus todo poderoso muito ocupado ou de má vontade com o pecado que tenta, tenta e não consegue ser bom? Será que Deus zanga-se e por isso o deixa á mercê dos demônios? Terá Deus prazer na perdição de alguém? Se alguma destas perguntas tivesse resposta positiva, tal resposta não combinaria com o amor que é a essência do caráter de Deus. O apostolo João define esse caráter assim: `` Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. ´´ (1 João 4. 8).
        Através do profeta Zacarias, Deus pergunta: `` Tenho eu algum prazer na morte do ímpio? Diz o Senhor Deus. Não, desejo antes que se converta dos seus caminhos e viva. `` (Ez. 18. 23). Se Deus não tem prazer na morte de ninguém, na perdição de ninguém, é óbvio que o fato dele não perdoar o pecado contra o Espírito Santo, não é ressentimento ou má vontade.
       O Espírito Santo como representante de Cristo, o cordeiro de Deus, todos os dias chama, bate na porta do coração do ser humano. O apocalipse registra esse episódio com as seguintes palavras: `` Eis que estou a porta, e bato. Se alguém ouvir minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. ´(Ap. 3.20).
      O Espírito Santo vai chamando a vida inteira. No início dos chamados o ser humano se sensibiliza, sente até remorsos. Mas, com o passar do tempo fica encaliçado. O Espírito chama ele vai ouvindo a voz sagrada cada vez mais distante, até não ouvir mais. Nesse estagio o homem não se sente mais em pecado. Não aceita mais o perdão. Não por que Deus não queira conceder o perdão, mas por quê a pessoa não se sente mais pecadora. Por isso é impossível ser perdoada. Não é que o Espírito Santo não chama mais, é que o pecador foi tão distante que não consegue mais ouvir. 
     Uma pessoa sente muita vergonha e tristeza, ao cometer um pecado grosseiro  como matar, roubar, ou adulterar. Na reincidência deste pecado, o homem sente menos, mais ainda sabe que cometeu um delito e precisa de perdão. Ao acostumar-se no pecado , passa a usar o ataque aos outros como desculpa pois já ama o pecado, e quem não concorda com ele é que esta errado. É uma forma de tentar tapar a consciência para não sofrer o problema da culpa. É mais fácil culpar a Deus, os pais, os amigos, os líderes religiosos, que assumi a culpa. Na resistência contínua contra a voz do Espírito Santo, o homem afasta-se de Deus ao ponto de não querer mais perdão, por que nada está fazendo de mal. Tanta gente vai morrer também, não é só eu...! A alma vivente que está perdida, não sente mais vontade de mudar. Deus está de contínuo esperando que ele volte, mas ele não precisa mais de Deus. Acha-se totalmente entregue a vontade de satanás. A contínua resistência ao Espírito Santo é a blasfêmia o pecado contra o Espírito Santo, do qual Jesus falou: `` Todo  pecado será perdoado, mas não será perdoado o pecado contra o Espírito Santo. `` Davi, ao sentir que poderia cair neste pecado como fez o rei Saul, rogou a Deus nestas palavras: `` não me lances fora de diante da tua face; e não tires de mim o teu Espírito Santo. ´´


Pr. Itonilson Veras de Lacerda

Nenhum comentário:

Postar um comentário